PRÓPOLIS INFO
A Própolis
As abelhas brasileiras
SAIBA MAIS

PARA QUE SERVE O PRÓPOLIS DENTRO DA COLMÉIA?


- Nos alvéolos:onde serão postos os ovos pela abelha rainha, as abelhas usam a própolis para dar mais rigidez, e mantê-lo desinfetado;

- Em frestas: impedindo que invasores como formigas, besouros, ácaros, possam prejudicar a integridade da colméia,
contaminando-a;

- Na limpeza: quando um invasor é neutralizado dentro da colméia, e não pode ser levado para fora pelas abelhas, para evitar que sua decomposição contamine seu interior, o invasor morto é coberto e embalsamado com própolis, evitando que a sua putrefação.


Por essas razões os gregos denominaram a substancia como:

PROPOLIS=“PRO” + “POLIS

em prol da polis, isto é, para o bem da cidade, para o bem da colméia.

Atividade Biológica da Própolis
Ação Antitumor do Artepillin-C



 

No Brasil encontramos diversas espécies de abelhas. Podemos subdividi-las em 2 grupos maiores: as abelhas com ferrão, e as abelhas sem ferrão.
 
- Abelhas brasileiras sem ferrão:
 

São abelhas menores que a abelha comum, do gênero Melípona e Trigona principalmente.

 
Seus ninhos são feitos em ocos de arvores, ou em galerias na terra, e são bem menores quando comparados com as espécies com ferrão. Devido à dificuldade de domesticação e à baixa produtividade, não são utilizadas comercialmente. Porém exercem a importante função de fecundar inúmeras espécies vegetais da flora brasileira.
 

- Abelhas brasileiras com ferrão:

 
- Origens:
 

As abelhas com ferrão não existiam no Brasil. Hoje, pode-se dizer que as abelhas brasileiras são o resultado do cruzamento entre as espécies européias e africanas, trazidas no passado.

 
A introdução das abelhas européias é atribuída aos jesuítas, que em 1839 trouxeram de Portugal enxames para o Rio de Janeiro. Em 1845 colonizadores alemães também as trouxeram da Alemanha, para os estados do Sul do Brasil. Em 1870 e 1880 recebemos abelhas da Itália no Estado do Rio Grande do Sul, e em 1895 mais abelhas italianas para o Estado de Pernambuco. Além destas, muitas outras foram trazidas, mas não há registros.
 
Em 1956 pesquisadores trouxeram abelhas africanas para o Estado de São Paulo, com o intuito de aumentar a produtividade do mel.
 
Logo estas abelhas cruzaram com as espécies européias dando origem a uma espécie híbrida que devido à sua vitalidade, atualmente é a mais comum nas Américas, entre os paralelos 35º Norte e 35º Sul do globo terrestre. A abelha africanizada, brasileira.
 
- Características:
 
As abelhas européias não são muito agressivas de maneira geral, e resistem melhor em climas mais frios, enquanto as brasileiras são mais agressivas e não se adaptam a climas frios, preferindo regiões de clima mais quentes.
 
As abelhas brasileiras têm maior resistência às doenças comuns das abelhas européias. No Brasil, a grande maioria dos apicultores não precisa usar antibióticos no tratamento de suas colméias.
 
Sua vitalidade mostra também resultados na produtividade. Seu raio de ação é maior, e a sua produção de mel, própolis e outros subprodutos é notavelmente maior.
 
- A apicultura comercial:
 

O Brasil é hoje um dos maiores fornecedores de produtos apícolas no mundo. Dentre os produtos das abelhas brasileiras temos o mel, a própolis, a apitoxina, a geléia real, o pólen, e a cera de abelhas. Os produtos que mais se destacam são o mel e a própolis.

 
A resistência e vitalidade das abelhas brasileiras aliadas à diversidade da flora, a abundância de recursos hídricos, o clima e altitudes adequadas, criam condições ideais para a produção de produtos de extrema qualidade.
 
 
 
Bioessens Limitada © Copyright 1994-2006 - Todos os direitos reservados
Bioessens Limitada - Phone: (+55 11) 4612-3885 - Rua Tomas Sepe, 320 - Jardim da Gloria - Cotia - SP - Brasil